Beleza e Autoestima

Descubra como maus hábitos de sono nos roubam 8 anos de vida!

Reprodução / Divulgação Beleza e Autoestima: Descubra como maus hábitos de sono nos roubam 8 anos de vida!

Sono é importante para o bem-estar físico e mental. Porém, maus hábitos de sono podem minar sua saúde e roubar 8 anos de vida! Descubra como evitar esses maus hábitos para ter uma vida saudável. Neste post, vamos abordar como ter bons hábitos de sono, quais são os riscos do mau sono e como obter mais energia com sono adequado.


  • Publicado: julho 15, 2023
  • Atualizado: julho 15, 2023 1:07 am
  • Por: Redação

Tópicos Abordados:

  • Descobrindo a idade do sono
  • O perigo da fragmentação do sono
  • Como melhorar a qualidade do sono
Publicidade

Maus hábitos de sono podem reduzir expectativa de vida em mais de 8 anos, diz estudo

No mundo agitado em que vivemos atualmente, é cada vez mais comum encontrarmos pessoas com maus hábitos de sono.

No entanto, o que muitos não sabem é que esses hábitos podem ter consequências graves para a saúde e até mesmo reduzir a expectativa de vida em mais de 8 anos, de acordo com um estudo realizado pela Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e pelo Centro Dinamarquês da Medicina do Sono.

Descobrindo a idade do sono

O estudo, que foi publicado na renomada revista científica npj Digital Medicine, analisou o sono de mais de 10 mil participantes com idades entre 20 e 90 anos.

Publicidade

Os pesquisadores levaram em consideração diversos fatores, como movimentações noturnas, interrupções, respiração e frequência cardíaca, para atribuir um perfil médio a cada noite de sono.

Com base nesses perfis, os cientistas puderam identificar a chamada “idade do sono”, que é diferente da idade biológica das pessoas. Por exemplo, uma pessoa de 45 anos que apresentava um perfil de sono equivalente ao de alguém de 55 anos era considerada como tendo “idade do sono” acima da média.

Essa diferença entre a idade real e a idade do sono indica maus hábitos de sono.

O perigo da fragmentação do sono

Dentre os diversos aspectos do sono analisados, os pesquisadores descobriram que a fragmentação do sono, caracterizada por acordar várias vezes durante a noite por períodos curtos de tempo sem lembrança desses despertares, foi o fator que mais influenciou na chamada “idade do sono”.

Publicidade

Esse tipo de fragmentação é diferente dos distúrbios do sono, como a insônia, nos quais a pessoa percebe que está acordada.

Segundo Emmanuel Mignot, autor e pesquisador de Stanford, a fragmentação do sono foi o principal preditor de mortalidade encontrado na pesquisa. A cada aumento de 10 anos na “idade do sono”, em comparação com a idade real, o risco de morte por todas as causas aumentou em 29%.

Além disso, cada aumento ou diminuição de 10 anos na “idade do sono” reduziu a expectativa de vida em até 8,7 anos.

Como melhorar a qualidade do sono

Diante desses resultados alarmantes, é fundamental buscar maneiras de melhorar a qualidade do sono e reverter esse cenário.

Publicidade

Algumas dicas importantes são seguir uma rotina regular de horários de sono, garantindo que o corpo esteja completamente descansado, evitar exposição à luz intensa antes de dormir, manter o ambiente escuro durante a noite, praticar exercícios regularmente, porém, evitá-los próximo à hora de dormir, não consumir bebidas alcoólicas ou cafeína nesse período e evitar refeições pesadas antes de dormir.

É essencial tratar qualquer distúrbio do sono que possa estar prejudicando a qualidade do repouso. Ao adotar essas medidas, é possível melhorar a qualidade do sono e reduzir os riscos de problemas de saúde e mortalidade prematura.

Portanto, é importante estar consciente dos impactos negativos dos maus hábitos de sono e buscar adotar hábitos saudáveis que favoreçam um sono de qualidade. Afinal, uma boa noite de sono pode fazer toda a diferença para uma vida longa e saudável.

 


0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



    VOCÊ CONHECE A LINHA DE PANELAS REDSILVER?

    Além de suas refeições não precisarem de óleo, a RedSilver também não solta substâncias tóxicas (PTFE e PFOA) durante o cozimento, como acontece com as panelas comuns. Muito mais saúde para você e sua família.

    CONFIRA JÁ!