Estudo revela os impactos alarmantes do sono ruim em idosos obesos


REPRODUÇÃO/DIVULGAÇÃO
Tempestade perfeita: dormir mal agrava problemas de saúde em idosos

Compartilhe:
Redação
Publicidade


O sono é uma parte importante da vida de qualquer pessoa, mas para os idosos, ele tem um papel ainda mais significativo. Descubra como o sono inadequado pode afetar a saúde física e mental dos idosos e quais são as melhores práticas para garantir o bem-estar.



Estudo revela os impactos alarmantes do sono ruim em idosos obesos

Estudo alerta para os impactos negativos do sono ruim em idosos obesos

Um estudo recente feito na Universidade de São Paulo (USP) traz um alerta importante sobre os efeitos negativos que o sono ruim pode causar em idosos obesos. De acordo com a pesquisa publicada na revista Scientific Reports, esses indivíduos sofrem consequências sérias para a saúde, como perda de massa muscular, aumento da gordura corporal e sinais de ansiedade e depressão.

Uma combinação perigosa no envelhecimento da população

O coordenador da pesquisa, Hamilton Roschel, destaca que existe uma situação preocupante para a população idosa: o aumento da obesidade e a incidência de distúrbios do sono. Essa combinação resulta em problemas como a diminuição da força muscular, da massa magra e da saúde mental nessa faixa etária.

Aumento do número de idosos obesos

O número de idosos obesos tem crescido em todo o mundo nas últimas décadas, incluindo o Brasil. Segundo um estudo do Ministério da Saúde, a prevalência de sobrepeso nessa faixa etária subiu de 53,7% para 60,4% entre 2006 e 2019. Já a obesidade passou de 16,1% para 20,8% no mesmo período.

Para estudar a relação entre qualidade do sono e parâmetros de saúde física e mental em idosos obesos, pesquisadores da USP aplicaram questionários em dois grupos de 95 participantes. Os grupos foram divididos em bons e maus dormidores, e os pesquisadores analisaram a composição corporal e a funcionalidade dos indivíduos.

Publicidade




Os resultados apontaram que os participantes com qualidade de sono ruim apresentavam pior saúde física e mental, com menos vitalidade, mais dores musculares e problemas na função do corpo. Além disso, eles tinham maior percentual de gordura corporal, menos massa magra e força muscular, além de escores mais baixos de depressão, ansiedade e qualidade de vida.

Levando em consideração esses resultados, os pesquisadores ressaltam a importância de cuidar do sono dos idosos obesos, a fim de minimizar os impactos causados pela obesidade e pelo envelhecimento no corpo. Eles acreditam que essa descoberta pode ajudar no diagnóstico e no encaminhamento adequado dos pacientes, evitando o agravamento geral da saúde.

Nos próximos meses, o grupo da USP planeja publicar um estudo complementar que avaliará terapias de estilo de vida voltadas para tratar os efeitos negativos relacionados à composição corporal, como a perda de massa muscular e distúrbios metabólicos.

É importante ressaltar que, cuidar do sono dos idosos obesos é essencial para garantir uma melhor qualidade de vida e prevenir problemas de saúde. A atenção a esses aspectos pode contribuir para um bem-estar físico e mental mais equilibrado desses indivíduos.

Publicidade




 



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *





Últimas Publicações